sexta-feira, 10 de junho de 2011

Menino tem mãos queimada pela mãe após ter furtado celular;

Um menino de nove anos teve as mãos mergulhadas em água fervente pela própria mãe, a dona de casa Raquel Ribeiro dos Santos, no bairro de Mandacaru, em Jequié, no sul da Bahia, a 360 km de Salvador. Segundo a delegada, Alessandra Pimentel, que acompanha o caso, ocorrido no último final de semana, a criança permanece internada com queimaduras de segundo grau. O quadro é estável, mas ainda não há previsão de alta médica.
Segundo apurou a delegada, o menino estava brincando com o celular de uma vizinha, amiga da família e considerada mãe de leite das quatro crianças da casa, quando Raquel determinou que ele devolvesse o aparelho. Para brincar, o menino colocou o telefone sobre um muro que divide as duas casas. A vizinha então reclamou com a mãe, que castigou o filho colocando as duas mãos da criança numa panela de água fervente --que estava pronta para depenar uma galinha.
"Após queimar as mãos do filho, a mãe foi para o quintal estender algumas peças de roupa, enquanto o menino gemia de dor, chamando a atenção do irmão mais velho, de 12 anos, que, ao ver as mãos do irmão muito inchadas, chamou um vizinho, em busca de ajuda”, contou Alessandra.
O garoto então foi levado para o hospital Prado Valadares, onde o serviço social alertou a polícia. Raquel Ribeiro dos Santos foi presa em flagrante, mas ganhou liberdade após pagamento de fiança de um salário mínimo.
“Ao se dar conta da violência que tinha praticado contra o filho, ela se mostrou muito arrependida, inclusive tem tentado visitá-lo no hospital, mas ele se mostra bastante arredio”, disse a delegada. O menino vem sendo acompanhado pelo pai e por uma tia.
A polícia acredita que a agressão foi um caso isolado e de raiva momentânea da mulher. Segundo a delegada, não há registros de antecedentes contra Raquel e os depoimentos de familiares e vizinhos não citam atos frequentes de violência familiar.
“Pelo que pude perceber ao ouvir o filho mais velho de Raquel, trata-se de uma família pobre, mas estruturada. Acredito que ela esteja, de fato, arrependida. Ficaram todos muito assustados”, afirmou.
Ainda não há uma definição sobre o destino do garoto após a alta médica, o que deverá ser decidido pelo Conselho Tutelar.
fonte: uol,

2 comentários:

  1. Se as mães de Picuí tivessem vergonha na cara como essa bahiana, que apesar de pobre é digna, estariamos mas sossegados, pois saberíamos que tinha pais com responsabilidade para disciplinar; Ai depois entra Conselho Tutelar para quê?? Para desestruturar uma família? ISSO É BRASIL, PAÍS DA CORRUPÇÃO.

    ResponderExcluir
  2. Meu caro anônimo vc acha que alguém que faz uma coisa dessa pode ser chamada de mãe?
    Educar td bem,repreender todo pai ou mãe repreende,mais isso que essa senhora fez é um ato desumano.
    Quanto ao conselho tutelar ele é para proteger a criança ou o adolescente quando estes tem o direito violado.
    Veja o estatuto da criança e do adolescente.
    Se sua disciplina é bater ou agredir,Eu espero que vc nunca tenha filhos.
    Até para o seu bem pois vai findar na cadeia.

    ResponderExcluir

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.