quinta-feira, 30 de junho de 2011

Polícia mata 4 suspeitos de explodir bancos na Paraíba



Quadrilha agiu contra agência bancária em Boa Vista. Dois foram presos e um adolescente apreendido  Márcio Rangel // marciorangel.pb@dabr.com.br

O município de Boa Vista, no Cariri paraibano, vivenciou cenas de um verdadeiro filme de ação na manhã de ontem. Uma quadrilha fortemente armada invadiu um posto de atendimento do Bradesco e explodiu um caixa eletrônico. O que eles não imaginavam é que a ação não teria sucesso e após uma perseguição policial quatro assaltantes acabaram sendo mortos, dois foram presos e um adolescente foi apreendido. 

Os ladrões usaram na ação dois veículos que haviam sido tomados por assalto em Campina Grande. O bando chegou em Boa Vista por volta de 1h em um carro e cinco motocicletas. Fortemente armados com pistolas e usando capuzes, os bandidos se preocuparam logo em render um vigilante que trabalhava no terminal de passageiros da cidade e no momento da ação estava de plantão no local. 

Material apreendido com acusados foi apresentado ontem à tarde. Foto: Juliana Santos/DB/D.A press
Sem violência, eles obrigaram o vigilante a deitar no chão. Um deles ficou cuidando da testemunha, enquanto os outros, de forma rápida, arrombaram a porta de vidro do posto de atendimento bancárioe instalaram o explosivo no único caixa eletrônico que existia na cidade.A polícia acredita que o bando sabia que o equipamento havia sido abastecido na tarde da última segunda-feira e que por causa disso, encontrariam dinheiro disponível na máquina. A explosão destruiu quase que totalmente a estrutura interna do Posto de Atendimento Avançado (PAA) do Bradesco.Depois do crime, os ladrões fugiram rapidamente por uma estrada de terra que liga o município até a vizinha cidade de Cabaceiras. No momento da ação, não existia em Boa Vista nenhum policial militar de plantão na cidade. Por falta de contingente, o 10º Batalhão da Polícia Militar apenas disponibiliza policialmente ostensivo apenas nos finais de semana.O delegado responsável pelo local é Henry Fábio Bandeira, que acumula os serviços como adjunto da especializada em crimes contra o patrimônio (roubos e furtos) de Campina Grande.Troca de tirosApós a explosão do caixa eletrônico, a polícia foi acionada e se dirigu ao local. Durante a tentativa de fuga, os criminosos foram encontrados pela polícia. Um tiroteio começou e foram mortos quatro acusados de explosões a bancos nos estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Ceará. Durante a operação policial também foram presos dois suspeitos, dentre eles um empresário da construção civil. Um adolescente também foi apreendido na ação. A polícia ainda apreendeu várias armas, munições, motos e outros objetos. O tiroteio ocorreu no final da manhã de ontem, entre as cidades de Puxinanã e Pocinhos. Até o final da tarde de ontem apenas o corpo de Gilson Rocha da Silva, 40 anos, do município de Queimadas, tinha sido identificado. Os demais estavam sem reconhecimento no Núcleo de Medicina e Odontologia Legal (Numol), no bairro de Bodocongó, em Campina Grande. Durante uma entrevista coletiva foi apresentado o material apreendido com os acusados. De acordo com os delegados, a Polícia Civil, detectou que uma explosão seria feita entre a noite de anteontem e a madrugada de ontem na região de Campina Grande. Apósa explosão no caixa do Bradesco, na cidade de Boa Vista, a equipe saiu em perseguição aos bandidos até fazer um cerco a uma casa na Serra do Maracajá, entre Pocinhos e Puxinanã, onde houve o confronto. 

Um comentário:

  1. Vi no Jornal Nacional, parece que esse novo sistema é melhor mesmo. Aparenta ser parecido como nos Estados Unidos, onde sempre tem uma noticia que alguem foi preso e se conseguir pagar a fiança espera o julgamento em liberdade. O delegado terar mais poder e a fiança poderar ser de até 10 milhões de reais se não me engano. De uma dica ao delegado daqui para estimar fianças muito caras, para os bandido saber que mesmo se roubarem não terão como pagar.

    ResponderExcluir

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.