quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Comandante do 10º BPM disse que as buscas só encerram quando bandido for pego

O Major Marinho, Comandante do 10º BPM, disse hoje na Missa de 7º Dia do Soldado Rômulo, que as buscas ao bandido que matou o policial e baleou outro, só encerra quando ele for pego. Ele enfatizou que não há um clima de vingança, mas sim de justiça na corporação e quer ver o acusado preso. 


Qualquer informação que leve a PM a chegar no acusado, pode ser discado 190 ou 84-3331-6518. Sua informação será mantida em sigilo e não precisa se identificar. Equipes da PM em todo o Rio Grande do Norte estão de prontidão para pega-lo onde quer que ele esteja. 

via qthdanoticia.blogspot.com




"Quem quiser denunciar através do nosso blog da 7ªDRPC, pode denunciar que encaminharemos ao pessoal do RN. Este homem é responsável pela morte de um policial e de ter deixado outro gravemente ferido. Se ele foi capaz de fazer isso com policiais imagine com cidadãos de bem desarmados.
Sei que possuímos muitos amigos blogueiros e contamos com a ajuda de vocês para replicar essa matéria o máximo possível para que toda a sociedade conheça esse bandido que ainda está foragido e como o nosso Estado faz fronteira com o Rio Grande do Norte ele pode está escondido em uma de nossas cidades."

PM OFERECE RECOMPENSA PARA PRENDER CRIMINOSO

A POLÍCIA ESTÁ oferecendo uma recompensa, no valor de R$ 1 mil, para aquele que ajudar a própria polícia a prender um homem identificado como Elizeu Pedro da Fonseca, 49 anos. Ele é apontado como o principal suspeito de ter matado, no último dia 21, em Assu, o soldado da PM Rômulo Gabriel Barbosa da Silva. O dinheiro será pago pela Associação de Praças de Mossoró e Região, a Apram.
Ontem, por telefone, o presidente da associação agradeceu à reportagem por ajudar a divulgar o valor da recompensa. “Nossa atitude é inédita. Queremos agilizar a prisão do suspeito. Dar dinheiro é uma forma de incentivar a população. Precisamos da colaboração das pessoas para que possamos encontrar este assassino”, ressaltou o soldado Clayton Jackson.
“Temos certeza que foi o Elizeu quem tirou a vida do nosso colega”, afirmou o presidente, com total convicção. “Caso contrário não ofereceríamos a recompensa”, acrescentou. Por fim, antes de desligar, o soldado Jackson divulgou também os números para que a população possa colaborar com as informações que levem ao  paradeiro do suspeito. Através dos números (84) 8703-7440, 84-8853-3381, 84-8752- 1011 e 84-3316-2692, inclusive, quem ajudar a prender o criminoso também poderá reclamar o pagamento da recompensa. “A identidade do comunicante será preservada e mantida em absoluto sigilo”, garantiu o policial.
O soldado Rômulo foi morto, segundo informações da própria polícia, durante uma discussão de trânsito, crime acontecido no início da tarde do último dia 21,  mais precisamente no cruzamento das avenidas Dr. Luiz Carlos e Senador João Câmara, em frente ao prédio do INSS, no bairro Dom Elizeu, município de Assu. Consta que o condutor de uma Parati azul (placas não anotadas) ficou despeitado após o breve bate-boca e sacou a arma.
Na ocasião, além do soldado Rômulo, também foi baleado o colega de farda Carlos Lopes Cavalcante. De folga naquele dia, ambos estavam em motocicletas quando foram alvejados. A caminho do hospital morreu o soldado Rômulo. O amigo teve melhor sorte, mas ainda segue em observação. O motorista, então identificado como Elizeu Pedro da Fonseca, continua foragido.
Em contato com o NOVO JORNAL, o escrivão da Delegacia de Assu relatou alguns detalhes do crime. Segundo Cristiano Alves, testemunhas disseram que os policiais pararam do lado do carro e foram tirar satisfação com o motorista. Foi o suficiente para enfurecer o condutor do automóvel, que sacou a arma e efetuou vários tiros.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.