sábado, 17 de dezembro de 2011

Policia Civil descobriu que acusado do "Laços de Sangue" já estava preso na Paraíba.













Devido a falta de sistema integrado informatizado das polícias civis, militares e penitenciários, acusado na Operação Laços de Sangue seria liberado por pagamento de Fiança, devido a um porte de arma em Santa Rita, já tendo uma ficha criminal extensa e mandados de prisão em aberto devido a crimes praticados no sertão paraibano. Fatos como esse é comum em várias cidades do Brasil. Quando um bandido é preso por um fato de menor potencial ofensivo, briga por embriagues, desacato, porte de arma e quando é averiguado possui diversos mandados de prisão em aberto ou é foragido. Falta um sistema que alerte quando um foragido ou procurado da justiça fosse preso por qualquer crime em qualquer local do Brasil e se possível do mundo para que sua comarca de origem e os policiais que o procuram fiquem sabendo, hoje até o Sistema Infoseg é falho e desatualizado.
Veja matéria abaixo:



A polícia paraibana prendeu nesta quarta-feira, 14, Edmilson Nascimento da Silva, conhecido por ‘Careca’ ou ‘Mil’. Ele é acusado de ser o assassino de Aldo Suassuna, homicídio ocorrido no dia 25 de julho deste ano, em Patos. 

A prisão de Edmilson refere-se aos mandados de prisão ocorridos em 28 de setembro, quando ocorreu a Operação “Laços de Sangue” nas cidades de João Pessoa, Catolé do Rocha e Patos. Segundo o delegado de homicídios da delegacia civil de Patos, Hugo Lucena, este foi o último cumprimento de mandado de prisão desta operação policial. 

O delegado que acompanhou o reconhecimento do acusado, tendo em vista o recebimento de uma denuncia anônima, disse que Edmilson estava detido no Presídio Padrão, em Santa Rita, região metropolitana de João Pessoa, onde cumpria pena por porte ilegal de arma, sendo que poderia ser liberado a qualquer momento mediante pagamento de fiança

Ele ainda informou que a denuncia foi feita após a veiculação da matéria do Fantástico, da Rede Globo, sobre a Operação Laços de Sangue, que marca a rixa de duas famílias tradicionais da cidade de Catolé do Rocha: Oliveira e Suassuna

O delegado afirmou que foi preciso se dirigir até aquela unidade prisional para averiguar a veracidade da denuncia. “Ontem mesmo fui até Santa Rita, pois, naquele presídio havia dois homens com o mesmo nome, mas ao apresentar uma fotografia de Edmilson Nascimento, prontamente ele foi reconhecido”, disse. 

Ainda de acordo com o delegado, a ficha criminal de “Careca” é extensa. ‘Ele já foi preso por roubo, furto, homicídios, inclusive, ele confessa que já matou outras pessoas anteriormente”. 

Embora tenha negado a autoria do crime contra Aldo Suassuna, Edmilson confessou que tem envolvimento com Jarbas Jacone, que também foi preso na Operação acusado de ser um agenciador de pistoleiro, no caso, Edmilson, para matar Aldo Suassuna. Em depoimento, Edmilson disse ao delegado que ele e Jarbas cumpriram pena no mesmo pavilhão do PB1, em João Pessoa e saiu pouco antes do São João, data em que ocorreu a morte de Aldo. 

No município de Patos, o clã Oliveira é suspeito de envolvimento nos crimes: 

Em 23.05.11, José Antônio de Araújo(Juninho de São Bento).
Em 24.05.11, foi assassinado Ramises da Rocha(Ramises).
Em 25.06.11, foi assassinado Aldo Suassuna de Sousa(“Mimi”: irmão de Silvio Suassuna de Sousa, mais conhecido por “Moça Branca”, assassinado em 14.03.11, à mando da família Oliveira ). 

Acilene Candeia/Rádio Sertão AM
via qthdanoticia.blogspot.com

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.