segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Policial Militar de Santa Cruz/RN realiza disparos em estabelecimento comercial


Um dia após a Audiência Pública que debateu a segurança na cidade de Santa Cruz, um policial foi o foco de mais uma polêmica no assunto segurança pública, dessa vez em um estabelecimento comercial. O policial militar efetuou disparos de arma de fogo em uma pizzaria da cidade, próximo ao terminal rodoviário.
Conforme Boletim de Ocorrência, um policial conhecido como Lúcio, que trabalha da cozinha da 4ª Companhia Independente de Polícia Militar, de Santa Cruz, estaria acompanhado da sua esposa e mais dois casais, quando sua companheira teria dito que a pizzaria-restaurante La Zela, estabelecimento em questão, era uma espelunca. O policial Lúcio derramou então cerveja no chão do estabelecimento por várias vezes, o que chamou atenção de um dos atendentes, o Sr. Francisco Romoaldo (conhecido como Bal), que solicitou ao cliente que caso ele continuasse agindo assim seria melhor que saísse do local.
O PM ficou revoltado e sacou uma arma, que foi apontada para o atendente. A companheira do policial foi tentar abaixar a arma e o mesmo efetuou o disparo, por sorte, o projétil atingiu o freezer. Com isso, o Sr. Júlio Joaquim, proprietário da La Zela, pediu socorro pelo 190.
No entanto a atitude da Polícia Militar de Santa Cruz é de chocar, os policiais se recusaram a prender o policial Lúcio, isso porque o mesmo era PM e porque ele tinha porte legal de arma de fogo. Quando os PM’s foram saindo, o PM Lúcio efetuou disparos para o alto, tentando atingir as janelas da La Zela e após isto foi embora sem anda acontecer.
Outros policiais retornaram a La Zela e tentaram explicar porque não prenderam o colega. A convite do estabelecimento, o Blog visitou o local do fato, confira algumas fotos e o BO:

"Disparo em via pública a esmo é crime, principalmente dentro de estabelecimento comercial além do fato de que policial estava consumindo bebida alcoólica, fato este que não pode, sendo proibido o porte de arma nestas condições. Se fosse preso poderia ter sido recolhido ao Quartel militar mais próximo e responder penalmente comum cidadão comum, se a arma for do quartel responde por crime militar também. Um policial  militar só pode ser preso na presença de um superior. Se for um soldado tem que ser preso na presença de um Cabo, por exemplo."

3 comentários:

  1. na questão o superior na cidade era ele que tava dando enseplo para os demas por isso que não foi preso

    ResponderExcluir
  2. Isso só prova a incompetência dos policiais de Santa Cruz que foram atender a essa ocorrência , quer dizer que se for policial pode atirar e andar armado fazendo esse tipo de safadeza e não dá em nada ? vergonha para a policia militar

    ResponderExcluir
  3. É porisso que nosso pais está como esta´, quem era pra dá exemplo faz isso , imaginem só os marginais ? kd as autoridades competentes para coibirem esses tipos de erros ? podemos considerar um marginal de fardas esse canalha desse policial .

    ResponderExcluir

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.