quinta-feira, 3 de maio de 2012

“OPERAÇÃO MALHAS DA LEI”. Responsável por dez homicídios é preso pela Polícia Civil de Guarabira/PB

Um trabalho em conjunto entre as polícias civis da capital paraibana e do Grupo Tático Especial da 3ª Superintendência/Guarabira, resultou na prisão de Pedro Henrique Ramos Leôncio, de 19 anos, residente atualmente no Bairro do Nordeste I, em Guarabira. A prisão ocorreu na manhã desta quinta-feira (03).

Pedro Henrique é acusado de no mínimo dez homicídios praticados na capital paraibana e é apontado como o principal autor do assassinato de Daniel Bezerra de Lima Neto, ocorrido no dia 27 de Janeiro de 2012, no Bairro Castelo Branco, em João Pessoa-PB. O acusado negou esta acusação, mas teria confessado que praticou o assassinato de Kaik Ruan Lins dos Santos, 18 anos, que foi assassinado com vários tiros de revolver, enquanto caminhava pela Comunidade Padre Hildo Bandeira, na avenida Beira Rio, região central de João Pessoa, no dia 20 de Abril deste ano.

Um dos policiais da delegacia de homicídio da capital, disse que já vinham monitorando os passos do acusado há bastante tempo e que através de informações descobriram que Pedro Henrique estava refugiado em Guarabira, e só com o contato com os agentes do GTE, é que foi possível realizar a prisão do homicida.

A prisão do acusado se deu graças a um mandado de prisão expedido pela Dr. Anna Carla Falcão da Cunha, juíza de direito da 2ª Vara do Tribunal do Juri, em João Pessoa-PB. 

O Superintendente da 3ª Delegacia Regional da Polícia Civil, Dr. Luciano Carvalho, a prisão foi mais uma resposta da polícia civil ao índice de criminalidade que está acometendo a Paraíba e o Brasil.

Uma das metas da nova estrutura da polícia civil da Paraíba é a interação entre as polícias e delegacias. Essa é a orientação do secretário de Segurança e da Defesa Social, Claúdio Lima.” Comentou Dr. Luciano sobre o trabalho realizado em conjunto.

Destacou ainda que a prisão faz parte da “Operação Malhas da Lei”, desencadeada desde Janeiro/2012, onde já ocorreram várias prisões de fugitivos da justiça em toda a região. “A Operação continua”. Encerrou Dr. Luciano Carvalho.

Motivação para os crimes.

A fúria existente em Pedro Henrique pode está relacionada a um duplo homicídio ocorrido em 13 de Março de 2011. 

Era madruga, criminosos teriam chegado a casa onde Pedro Henrique morava e assassinaram barbaramente sua mãe e um dos seus irmãos.

Tudo aconteceu quando a dona de casa Ana Paula Ramos Leôncio, 38 anos, e Lindenberg Ramos, 23, tiveram a casa invadida por quatro homens armados. Eles foram arrastados para fora da residência e assassinados a tiros. Após assassinados, as vítimas tiveram decepadas as mãos, as orelhas e as línguas. As partes do corpo de Ana Paula ficaram no local do crime, já as partes do corpo de Lindenberg foram levadas pelos assassinos.

Pedro Henrique confessou a nossa reportagem que ele seria o alvo, mas não entrou em detalhes do que teria provocado a fúria dos assassinos. 

A polícia liga o duplo homicídio aos crimes pelos quais o jovem está sendo acusado. “Ele – Pedro Henrique – relatou que a vítima do dia 20 de Abril, tinha ligação com um dos acusados de assassinar sua mãe e seu irmão, por isso não é descartado atos de vingança.” Revelou o policial da Delegacia de Homicídios da Capital. Pedro nega as acusações.

Pedro Henrique estava residindo em Guarabira há cerca de sete meses com uma filha e sua esposa. Pedro negou ter envolvimento com crimes ocorridos na capital do brejo paraibano nos últimos meses, mas o Dr. Luciano disse que vai investigar possíveis ligações do acusado com criminosos da região. “É estranho o fato de um cara jovem como é o Pedro Henrique está vivendo em Guarabira sem trabalhar e sustentando a família. Vamos investigar para sabermos se não há nenhum envolvimento do acusado com o tráfico de drogas da região.”Questionou.

O acusado foi recambiado para a capital paraibana, onde deve aguardar em regime fechado a decisão da justiça.


Um comentário:

Anônimo disse...

Eu vi numa outra página esse mesmo rapaz assinando um documento que determinava sua prisão. O que me assusta é que a educação que o Estado lhe deu, foi a suficiente para escrever em um papel a própria condenação. Graças a "faculdade do desprezo". É decerto que ele tornou-se algoz, mas também foi vítima, e a sede de justiça que pairou sobre seus conceitos lhe fez acreditar que agindo com atitudes próprias daria cabo a toda situação! Isso é o desacreditar na justiça legal, a impunidade é tão comum em nossa sociedade que faz com que pessoas passem a agir de maneira ilegal (fazendo justiça com próprias mãos e também acreditando que ficará impune). Muito me entristeceu em saber que sua família foi destruída de maneira tão brutal, tal como também a sua sede de vingança fez-lhe perder a razão. Eu não sei o porquê de toda essa triste história, mas o que eu sei é que o nosso Estado Brasileiro e toda sociedade anda equivocada quanto a sua própria constituição! Vamos primeiro ao Direito à VIDA! “A Constituição Federal garante que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à VIDA, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade. O direito à VIDA é o mais fundamental de todos os direitos, já que se constitui em pré-requisito à existência e exercício de todos os demais direitos.” Parece que a Administração Pública desapercebe esse Direito! Um dos itens para formar uma sociedade pacata é com a evolução da educação, é decerto que melhorou até um pouquinho ultimamente, mas não evoluiu ao ponto de englobar toda essa nova geração! Porque vale salientar que a cada nova geração haverá um comportamento diferente, e o Poder Público não pode ficar preso ao passado, tem que acompanhar. Imagino eu, hoje dia das mães, o que o Pedro Henrique sente nesse momento! Será que dá pra sentir arrependimento por ter ceifado vidas sabendo que a sua madre foi esquartejada? Penso que, quando lhe tiraram a razão de viver, ele passou a viver para também tirar razões! E o Estado, que garantia deu as vidas ceifadas? Obviamente nenhuma! Vimos que a Constituição discorre também sobre a segurança, todavia não é o que aconteceu. E se a educação fosse eficiente? Obviamente haveria mais diálogo entre as pessoas e seriam evitadas muitas tragédias. A constituição também preza por isso... A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. Ai nós vemos, o Estado, a família e a sociedade, o trabalho é conjunto. Na angustiante história do Pedro, o Estado falhou, a sociedade também, e nem cito aqui a família, porque esta não existe mais! Somos culpados por essa situação, somos passivos aos problemas, não queremos se “intrometer”, e um jovem no seu pleno vigor da idade paga pelas circunstâncias que lhe sugou, e nós pagamos com quê? Com a vergonha da incompetência, porque o Estado nos representa, e se esse Estado não dá Educação adequada a seus jovens, mente com a prática, referente a Constituição, logo todos nós somos um bando de mentirosos irracionais, mentimos também. Se não cuidamos de nossas crianças o que serão delas no amanhã? Vamos ter que encarcera-las para darmos o nome de reeducandos, reeducando em quê? Se reeduca aquele que já foi educado, e aí somos pegos na mentira novamente, será que o Pedro Henrique Ramos Leôncio foi educado? Tudo indica que não! E será que o sistema prisional brasileiro educa? Outra mentira! Vem ai novas eleições, cabem a nós não fazer dos nossos votos folia carnavalesca, cabe também conversarmos com os mais desinformados e dar-lhes orientação concernente a isto! Cabe a toda sociedade em ter um Estado que realmente represente os seus anseios, para isso temos que nos envolvermos nas vidas de nossas crianças, a responsabilidade é de todos em cuidar dos “Pedrinhos” de hoje para que sejam cidadãos civilizados no amanhã.

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.