quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Preso estuprador que mexeu com a própria filha e sobrinha em Remígio/PB

No final da tarde desta quinta-feira,03 de janeiro, o Comissário de Polícia Franklin Basilio juntamente com a guarnição da polícia Militar de Remígio/10ºBPM, prenderam em flagrante Delito, CARLOS ALBERTO DOS SANTOS, com 32 anos, natural de Alagoa Nova,  nascido aos 04/01/1981, acusado de estupro na localidade conhecida por Barreira, as margens da Br-104 em Remígio saída para a cidade de Esperança no Brejo Paraibano.
Segundo a genitora de uma criança de 3 anos, o acusado havia mexido nas partes intimas de sua filha. A menina disse para os policiais que o seu tio havia "colocado a pimba no piu piu dela", após a prisão do acusado a filha do homem alegou que também era molestada pelo mesmo, a menina só tem 7 anos de idade e segundo ela, o seu pai havia colocado o "pimba dentro de sua ....."

As vítimas serão encaminhadas para Exame de Conjunção Carnal, já que segundo a mãe de uma das meninas percebeu que havia algo diferente na área genital da filha do acusado.

Ainda de acordo com a genitora do acusado, avó das vítimas, ela mesmo havia pegado o seu próprio filho beijando a boca da sobrinha enquanto esta dormia, e que ele já havia permanecido preso no Presídio de Jacarapé por aproximadamente 04 anos por tentativa de Homicídio e que sua esposa também já havia sido presa por tentar entrar com drogas em presídios.

No final da noite desta quinta-feira por volta das 22:30hs foram realizados exames de conjunção carnal e coletado material para exames de DNA nas vítimas e o acusado após exame de corpo delito foi encaminhado a Cadeia Pública de Remígio, onde ficará a disposição da justiça local.

Ainda durante a noite representantes da Secretaria de Saúde de Remígio já se dispuseram a acompanhar as vítimas com acompanhamento psicológico para constar até que nível chegou o estrago na vida dessas crianças.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.