quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Depois da cachaça de feijão, detentos de Cuité, na Paraíba fazem cachaça com bagaços de laranja e maçã.

O secretário de Administração Penitenciária, Walber Virgolino, justificou a ‘fábrica’ de cachaça artesanal encontrada no presídio de Cuité como sendo fruto da boa alimentação dos apenados.

De acordo com Virgolino, em entrevista ao programa Cidade em Ação desta quarta (11), os presídios na Paraíba recebem alimentação de qualidade e a cachaça encontrada foi um ‘fermentado’ de bagaço de laranja e maçã.

Virgolino apontou que a operação que descobriu essa ‘fábrica’ foi um sucesso e apontou as medidas de ressocialização dos apenados. “Temos parceria com a Universidade Federal no Serrotão para levar assistência Jurídica, de Saúde, etc. Doa a quem doer, o sistema vai avançar de forma rápida e positiva”, destaca.

Apesar de algumas irregularidades encontradas, como é o caso da cachaça, o secretário ressaltou a diminuição do número de rebeliões desde que começaram as ações nos presídios.


Marília Domingues.

Os apenados paraibanos andam muito inteligentes ultimamente, sabemos que existe cachaças vendidas comercialmente a base de cana-de açúcar e de fermentação de arroz (o saquê- bebida japonesa). Há alguns meses atrás, ou anos, foi descoberto cachaça em outro presídio feito a base de fermentação de feijão e agora os detentos fizeram com bagaços de laranja e maçã. A criatividade não para por ai, vamos esperar pra ver qual será a próxima novidade dos nossos presídios que até vídeo games já foram recolhidos lá de dentro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.