quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Juri Popular do caso Gabi iniciou hoje!

Amanhã teremos o JURI POPULAR DO CASO GABI. Acredito que será um marco no JUDICIÁRIO PARAIBANO....começou com um excelente trabalho da DELEGACIA DE HOMICÍDIOS DE CAMPINA GRANDE e tem que culminar com a condenação do acusado...coroando o excelente trabalho de CONJUNTO PROBANTE DA POLÍCIA CIVIL (GEMOL/CG = Marcio Leandro Da Silva Silva).
Gabryelle de Farias Alves, de 22 anos, foi assassinada dentro de sua própria casa na noite de 11 de janeiro de 2012 na cidade de Campina Grande, na Paraíba. 
O acusado do crime é o companheiro da vitima, o lutador de jiu-jitsu Thiago Pereira Fernandes, de 25 anos,  e também  funcionário da Universidade Federal de Campina Grande, morador do bairro das Malvinas, Zona Oeste da cidade de Campina Grande, na Paraíba, onde ela morava.

De acordo com o delegado Francisco de Assis Silva, que acompanha o caso, após uma discussão, o acusado teria asfixiado a estudante Gabryelle de Farias Alves, com quem era casado há quatro anos e tem um filho de um ano, e depois simulou o suicídio da vítima.
Depois de praticar o delito, Thiago, teria levado a vítima até o banheiro de sua residência, amarrado uma corda no teto e pendurado a vítima para simular um suicídio. "Após fazer tudo isso, ele chamou o pai da vítima para procurá-la, alegando que ela estava desaparecida.
O laudo do IPC foi fundamental porque encontrou restos de pele do acusado nas unhas da vítima e ele apresenta alguns hematomas pelo corpo, como se tivesse lutado com a moça. "Ela também apresenta várias outras marcas de violência pelo corpo" comentou a autoridade policial.
 De posse das informações, a polícia fez uma campana e prendeu o acusado quando o mesmo estava participando do velório da esposa. A ação policial aconteceu em um cemitério privado que funciona na Alça Sudoeste de Campina Grande.
 Em fevereiro a família da vitima participou de um ato público na praça da Bandeira, centro de Campina Grande. A sua mãe Lia Alves, em entrevista ao Jornal de Fagundes, clama as autoridades por justiça. "Espero que esse monstro apodreça na cadeia e que sua punição sirva de exemplo para os demais".
 A família de Tiago acredita na inocência do acusado e tentam provar que a causa da morte de Gabryelle foi suicídio. 
 Foi solto no final da tarde de 09/07/2013 o lutador de jiu-jítsu Tiago Pereira Fernandes, de 25 anos.
Ele estava preso no Complexo Penitenciário do Serrotão, em Campina Grande desde janeiro de 2012, acusado de matar a esposa, Gabriele de Farias Alves.
A soltura, “liberdade provisória”, foi determinada pelo Juiz Alberto Quaresma do 2º Tribunal do Júri da comarca de Campina Grande.
www.setimaregional.com.br com informações
 http://www.gabrielasoudapaz.org/memorial/741-Gabryelle-de-Farias-Alves.htm

Acusado foi sentenciado a 17 anos de cadeia, mas ficará em liberdade porque seu advogado recorrerá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.