segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Preso que foi acusado injustamente de querer fugar com mascara de sabão a nível nacional será monitor de curso na Paraíba


máscara paraíbaApós verificarem que o detento não tinha a intenção de fugir e sim de chamar atenção de um Agente Penitenciário afim de que fosse agraciado com matéria prima para continuar os seus trabalhos artesanais aprendido no presídio do Serrotão.

Segundo o apenado, o Agente Penitenciário ficou surpreendido com uma de suas obras e com o que ele tinha usado para fazer a obra prima, vendo o espanto de alegria do Agente, o apenado resolveu criar o rosto do Agente afim de conseguir mais material, já que ele contava apenas com o sabão que seus colegas de cela cediam para o mesmo continuar a criar suas obras de arte.
Agora o detento será monitor de curso para os demais apenados.

Vejam a notícia que veiculou nas mídias a nível nacional
Um detento do Presídio Padrão de Santa Rita, na Grande João Pessoa, teve seu plano de fuga frustrado quando, na noite desta terça-feira, uma denúncia anônima contou suas intenções. O preso, que cumpre pena por assalto, teve a ideia de fazer uma máscara com restos de sabão e sabonete com as feições de um agente penitenciário.
O preso, que não teve a identidade revelada por causa das investigações, declarou ser artista plástico e afirmou que a máscara seria uma homenagem ao agente penitenciário, mas não soube explicar por que escondia o trabalho.
O secretário da Administração Penitenciária da Paraíba, Walber Virgolino, disse que o serviço de inteligência recebeu a informação e realizou o um pente-fino nas celas e, em uma delas, os agentes encontraram a máscara. O agente "homenageado" também não teve seu nome revelado.
Virgolino afirmou que oferecerá ao preso um curso de qualificação em artes plásticas para que ele aperfeiçoe suas técnicas e as use para um motivo positivo

Sei não viu, fugir com mascará de sabão? Isso é coisa de cinema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.