sábado, 16 de novembro de 2013

Bens de Justin Bieber são retidos pela justiça Argentina após queixa formalizada por fotógrafo.

A Justiça da Argentina ordenou o embargo por 30 dias dos bens de Justin Bieber depois que um fotógrafo entrou com uma ação contra ele por agressão durante a recente visita do ídolo pop canadense a Buenos Aires, declarou nesta sexta-feira (15) uma fonte alfandegária.
"A Alfândega embargou por 30 dias todos os bens de Bieber no Aeroporto Internacional de Ezeiza: equipamentos de áudio, som, luzes e a roupa que usou em seu show", declarou a fonte, que pediu para não ser identificada.
O embargo no valor de US$ 160 mil (R$ 370,8 mil) foi ordenado pela justiça após a queixa do fotógrafo Diego Pessoa, que denunciou ter sido espancado e ter tido seu equipamento destruído por seguranças do cantor, depois de fotografá-lo na saída de uma casa noturna.
Pablo Molina/Associated Press
Justin Bieber faz show em Buenos Aires, na Argentina, no domingo (10)
Justin Bieber faz show em Buenos Aires, na Argentina, no domingo (10)
"Pela primeira vez a Alfândega argentina embarga bens de um artista estrangeiro", acrescentou a fonte.
Matías Morla, advogado do fotógrafo, declarou a jornalistas que seu cliente acusou Bieber porque "ele deu uma ordem para que o espancassem e depois entrou em sua caminhonete".
Além disso, o proprietário da casa noturna Ink, no bairro de Palermo, acusou o músico de deixar o local sem pagar a conta.
A juíza María Giraudy ordenou que a Alfândega e o Aeroporto Internacional de Ezeiza "retenham os bens" do músico em aplicação de uma medida cautelar de 30 dias, até que a questão principal seja resolvida.
"É decretado um embargo sobre os sistemas de computação, som, alto-falantes, equipamentos de áudio, vídeo e/ou qualquer tipo de bem existente em jurisdição aduaneira que seja de titularidade ou propriedade do Sr. Justin Bieber", afirma a decisão.
Além disso, durante a inspeção da bagagem a Alfândega encontrou um pequeno cofre com 2.700 dólares canadenses, não declarados, razão pela qual o músico deverá pagar a taxa alfandegária correspondente, indicou a fonte.
fonte: Folha.
Enquanto isso no país dos tupiniquins ele pintou, bordou e esculhambou, saiu com prostitutas, destruiu quarto de hotel, ameaçou fotógrafos, grafitou ou pichou paredes particulares, e ainda os fãs acharam lindo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.