sábado, 16 de novembro de 2013

Revista geral nas cadeias da Paraíba no feriado da Proclamação da República.

armasCumprindo determinação do secretário da Administração Penitenciária da Paraíba, Wallber Virgolino, várias unidades prisionais do estado realizaram operações de segurança, nesta sexta-feira (15), feriado nacional.
Na Penitenciária Geral Beltrão (“Máxima de Mangabeira”), os agentes apreenderam drogas e aparelhos celulares. No Presídio Raymundo Asfora (“Serrotão”), em Campina Grande, foram apreendidos telefones celulares e facas de fabricação artesanal.
Ainda em Campina, desta vez na Penitenciária Padrão, os agentes encontraram garrafas com água e frutas em processo de fermentação, técnica prisional para produzir bebida alcoólica. Celulares e espetos também foram retirados das celas. Na Cadeia de Esperança, a vistoria foi realizada nessa quinta-feira (14) e também apreendeu aparelhos celulares.
De acordo com Wallber Virgolino, o sistema penitenciário da Paraíba vai continuar dando oportunidade de ressocialização aos reeducando que quiserem mudar de vida, mas não deixará de exigir a disciplina. “Nosso trabalho já é, inclusive, reconhecido em todo o Brasil. Tanto as ações de reintegração social dos presos quanto a implantação rígida da disciplina são destaque na imprensa nacional, graças à seriedade com a Seap e seus funcionários atuam”, disse Wallber.
ascom
Não é novidade a fabricação de cachaça dentro das cadeias brasileiras e algumas delas não é nem fabricada as escondidas, tanto cachaça como cigarros, são dois elementos presentes dentro das cadeias, como forma de controlar os ânimos dos apenados. Muito das vezes não seria água com frutas, e sim a própria cachaça com frutas a exemplo de bagaços de laranja e limão para dar sabor e não tomarem pura.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.