sábado, 30 de novembro de 2013

Revista Veja: Traz denuncias contra Veneziano e Vital do Rêgo por suposta pagamento de um Milhão a um membro do TRE-PB.

A Revista Veja desta semana traz uma nota em que o senador Vital do Rêgo é apontado como responsável por um suposto pagamento de um milhão a um membro do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba, para que o seu irmão, Veneziano Vital do Rêgo, fosse absolvido em um processo de cassação na época em que era prefeito de Campina Grande.

De acordo com a revista, a denuncia está baseada em um processo da Polícia Federal, onde um jornalista teria afirmado ter acompanhado a negociação com o juiz do TTRE.



A revista Veja de hoje traz uma forte denuncia em que dar conta de que ha uma investigação sobre uma suposta compra de um Juiz do TRE por um milhão de reais, feita pele Senador Vital Filho para livrar da cassação o seu irmão Veneziano Vital, então prefeito de campina Grande. Segundo a Veja, o Juiz já esta sendo investigado pelo Conselho nacional da Justiça. No caso, conhecido como Maranata, Veneziano era acusado de ter pago um cheque a empresa com dinheiro da prefeitura e depois a mesma empresa ter depositado o dinheiro, sacado no Banco do Brasil, na conta de sua campanha. Condenado em primeira instancia, durante o julgamento pelo pleno do TRE o relator do processo , o juiz João Batista Barbosa, também votou a favor da cassação de Veneziano, pois entendeu que houve financiamento público de sua campanha. No entanto, na primeira sessão do julgamento (06/09/2011) , após o relator declarar seu voto pela cassação de Veneziano Vital, a sessão foi interrompida após um pedido de vista do juiz Márcio Accioly. Remado o julgamento, Na sessão do dia 14 de setembro de 2011, o Juiz Marcio Accioly apresentou divergência do relator e votou pela absorvição do prefeito. A ccioly disse que não existia nos autos a “menor prova de ilicitude” cometida por Veneziano e que o voto de João Batista tinha sido “lastreado por suposições”. “Não se pode condenar ninguém por mera suposição, por isso voto pelo acolhimento do recurso para reformar a decisão do primeiro grau”. A divergência de Acioly foi seguida pelos juízes Miguel de Brito Lira e Newton Vita.
Jose Tavares De Araujo Neto 
http://www.maispb.com.br/artigo.php?id_artigo=20131130113405

Um comentário:

Osvaldo Silva disse...

Vergonha! Todos Paraibanos, principalmente os de Campina Grande sabem da culpa do alcaide. Há provas substanciais nos autos que foram "atropeladas" no julgamento...
"Onde dinheiro for e não resolver, é porque foi pouco"...

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.