quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Operação "Pequeno Príncipe" prende gangue de jovens em Campina Grande/PB

(Quadrilha liderada por menor)
Uma Operação denominada "Pequeno Príncipe", retirou NOVAMENTE de circulação um adolescente de 15 anos que vem sendo a “sensação do momento” no mundo do crime.
Ele foi apreendido com outra adolescente (companheira dele) e mais três adultos.
O próprio Ten. Cel. Souza Neto, comandante do 2ºBPM, comandou a ação que prendeu a quadrilha.



De acordo com ele, o menor e o bando são responsáveis por inúmeros roubos de motos, postos de gasolina, restaurantes, farmácias, carros, armas de vigilantes, entre outros.
A operação ocorreu por volta das 23h00, desta quarta-feira (04/12) no Bairro Malvinas e contou com o apoio  da Rádio Patrulha, Força Tática e Rotam.
As guarnições chegaram à Rua Elza Maria de Carvalho Lira e localizaram uma casa onde estava o bando reunido.



O cerco policial foi realizado e cinco pessoas estavam no local.
Foram encontrados: dois revólveres calibres “38” (um deles roubado de um vigilante do Rede Bairro), duas motos roubadas (uma Fan e uma Bross), “465 reais”,  cinco capacetes, duas bolsas, documentos das vítimas que já foram identificadas, dois celulares, dois relógios, além de uma pistola de “brinquedo”.



A gangue comemorava as ações “vitoriosas” fumando maconha, crack e tomando whisky, red bull, além de licor.
Os adultos presos são: Guilherme Emanuel Andrade, 19 anos, morador das Malvinas, Jadson Felipe Donato, de 20, morador da Rua São Pedro, em Santa Rosa e Janaína Sonale de Brito Macedo, de 20.
A operação recebeu a denominação de "Pequeno Príncipe", em virtude de a quadrilha desarticulada ser liderada por um adolescente.






Souza Neto disse: “estamos dando uma resposta mais uma vez a sociedade de que cobra, que exige e reivindica. No entanto esperamos uma resposta sobre a situação desse adolescente. Esta semana (e é só o começo) ele já agiu diversas vezes. Ele é o líder, é perigoso, é incorrigível, é dissimulado. Ele não faz questão de agir com selvageria, covardia e violência. Ele se acha o príncipe  do crime”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.