terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Responsável por avião se desculpa por voos baixos e o transporte é liberado para retornar ao estado de origem.

Apesar do advogado Juvenal Kloyber, responsável pela aeronave que fez voos rasantes nesse domingo (12) na orla de João Pessoa, ter pedido desculpas à Paraíba pelas manobras do piloto, que assustaram os banhistas, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informa ao Portal Correio que instaurou, nesta terça-feira (14), um processo administrativo para apurar denúncia sobre aeronave que realizou voos em altitude aparentemente inadequada na orla de João Pessoa.
Conforme a Agência, após conclusão da investigação e de acordo com os resultados do processo, o piloto responsável poderá ser multado e ter a habilitação suspensa. A aeronave também poderá ser interditada.
A Anac diz ainda que está colaborando com as investigações da Polícia Federal; ressalta também que o órgão responsável pelo tráfego aéreo, bem como autorização de voos e controle de rotas aéreas, é o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), da Aeronáutica, que também está apurando o caso.
O monomotor que sobrevoou praias a poucos metros da superfície veio do estado do Tocantins e está apreendido.
Peço desculpas ao povo de João Pessoa pelo ocorrido. Foi a primeira vez que o piloto fez esse tipo de manobra e espero que seja a última. Eu estava em uma praia do Rio Grande do Norte, mas, quando soube, já me coloquei à disposição das autoridades que estão investigando o caso. Mais uma vez peço desculpas à população da Paraíba. É uma imprudência que não deveria ter ocorrido”, falou o advogado, informando que emprestou a aeronave para o piloto fazer voo na companhia de um empresário do estado. A declaração foi dada durante entrevista exclusiva ao programa Cidade Alerta Paraíba, TV Correio/Record HD.
O Código Brasileiro de Aeronáutica restringe a prática de manobras, como os voos rasantes registrados nas praias do Litoral da Paraíba, nesse domingo (12), a áreas delimitadas pela autoridade da aeronáutica. O voo de baixa altitude praticado pelo piloto da aeronave monomotor PR-RRP, modelo Hiper PA-28RR201 não é permitido em áreas de aglomeração de pessoas.
O diretor do Aeroclube de João Pessoa, Jedaías Messias, confirmou que a legislação proíbe “esse tipo de voo em áreas de habitações e aglomerados de pessoas". “O avião devia estar sobrevoando a, no mínimo, mil pés de altitude (cerca de 300 metros)”, disse. O monomotor estaria numa altura de dois metros.
Dezenas de ligações
O presidente do Aeroclube, Rogério Iazaby, revelou que a escola de aviação recebeu cerca de 30 ligações de banhistas que presenciaram os voos. “Ele está aqui há poucos dias, veio de Palmas (TO). O avião decolava e pousava normalmente e ficamos sabendo do acontecimento por intermédio dos telefonemas. Esse tipo de procedimento é totalmente irregular e o piloto deverá ser multado e punido”.
fonte: http://portalcorreio.uol.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.