segunda-feira, 26 de maio de 2014

Filho de secretário de Segurança é preso armado suspeito de assaltar taxista. Delegado disse que não houve crime.

Policiais militares prenderam em flagrante o filho do secretário de Segurança Pública de Sergipe, João Eloy. A prisão aconteceu na madrugada deste domingo (25), na Praia de Atalaia, na orla da capital sergipana.
De acordo com informações da polícia, o filho do gestor identificado como Ítalo Bruno Araújo Fonseca em companhia de Eduardo Aragão, são suspeitos de cometer assaltos no local, utilizando armas e um veículo Volkswagen Amarok de placa OEQ-6871. A dupla estava em posse de um fuzil e duas pistolas ponto 40. Tanto o veículo, quanto as armas apreendidas com a dupla são do secretário.
De acordo com a imprensa local, João Eloy, afirmou que o veículo e as armas são de sua propriedade. Para justificar a posse das armas em casa, o gestor da pasta diz que não anda com segurança e por esse motivo necessita das armas. Ele ainda disse que não tinha conhecimento de que o veículo e muito menos as armas estavam com o jovem.
Ítalo e Eduardo foram levados para a Delegacia da cidade, onde foi lavrado apenas um B.O e o delegado afirmou para o Jornal Nacional de que não houve crime.
 >>>Posse ou Porte Ilegal de Arma de Fogo de Uso Restrito
 Pena – reclusão, de 3 (três) a 6 (seis) anos, e multa., não cabia fiança!
>>>Tentativa de Assalto a mão armada.

www.setimaregional.com.br

2 comentários:

  1. Realmente não houve mesmo não , pq se trata do filho do secretario de segurança publica , porém se fosse outro qualquer ainda estava preso e esse delegadozinho tbm era pra está preso por desrespeito ao povo Sergipano , delegado sem moral , bandido , pq quem apoia bandido , bandido tbm é .

    ResponderExcluir
  2. Quer dizer que andar armado agora não é crime ? para o cidadão de bem não pode e nunca irá poder , agora pra marginais dessa qualidade ou pior sempre vai poder . E se depender de um delegado canalha , corrupto e safado feito esse aí é que pode mesmo .

    ResponderExcluir

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.