domingo, 24 de agosto de 2014

Delegado é preso durante plantão por extorquir família de comerciantes em Campina Grande/PB

O delegado Júlio Ferreira de Lima Filho, conhecido como Júlio Panda, foi preso em flagrante pela Polícia Civil de Campina Grande, por extorsão a uma família de comerciantes da cidade. A prisão aconteceu quando o delegado estava de plantão. Ele foi autuado em flagrante pelo crime de concussão, que acontece quando um funcionário público exige, para si ou para outra pessoa, direta ou indiretamente, vantagem indevida em razão da função que exerce.

Júlio Panda, segundo o delegado Marcos Paulo Vilela, superintendente da 2ª Região Integrada de Segurança Pública, recebeu voz de prisão exatamente no momento em que saía do veículo dos dois empresários com a quantia de R$ 1.400, em espécie.
Ele estava de plantão na Central de Polícia e utilizou a viatura policial para chegar à Rua Teixeira de Freitas, bairro de São José, onde encontrou o casal para pegar o dinheiro. O valor exigido foi de R$ 10 mil; ele já tinha recebido mil, e esse outro dinheiro apreendido era apenas mais uma parte do montante exigido para que, supostamente, fossem sanadas restrições referentes a veículos com pendências na Circunscrição Regional de Trânsito - Ciretran”, explicou.
A investigação sobre o caso começou depois de denúncias feitas à Delegacia Seccional de Polícia Civil em Queimadas, as quais foram repassadas à Superintendência. Outra pessoa ligada ao delegado também está sendo investigada. “O nosso trabalho continua e vamos pedir a prisão desse envolvido. Também estão sendo investigadas denúncias de outros tipos de crimes que possivelmente podem ter sido praticados pelo delegado preso e essa pessoa já identificada”, acrescentou Vilela.
Segundo Cláudio Lima, o acusado trabalha na Polícia Civil há mais de 25 anos e tem um histórico de crimes contra ele sendo investigados. Ele está preso no 2º Batalhão de Polícia Militar da Paraíba, em Campina Grande. Ele era lotado na 5ª Delegacia Distrital do município e já foi substituído.
via PortalCorreio 
No mês de Junho policiais Civis de Remígio apreenderam um carro que estava sendo utilizado pelos filhos do Delegado.

Polícia Civil de Remígio recupera carro roubado em Pernambuco que estava transitando pela cidade.


Nos últimos dias cidadãos utilizaram o aplicativo Sinesp Cidadão e verificaram que um carro estava com restrição de Furto/Roubo e comunicaram a polícia Civil da cidade dizendo para ter cuidado pois o carro era de familiares de policial. Após receber a denuncia e realizado a verificação da denuncia a polícia Civil de Remígio sob o comando do mais recente Delegado Erisandro Pinto, apreendeu o veículo no momento exato que o mesmo passava em frente a delegacia.
Ao abordar o condutor do veículo constatou que o mesmo era furtado e nem precisou de muito tempo para saber que era de parente de policial já que o telefone logo em seguida não parou de tocar na delegacia.
A autoridade tomou a termo as declarações docondutor do veículo que informou que não sabia que era furtado, já que um parente seu havia pego o carro em uma dívida.
Os próximos passos da investigação é saber 
com o proprietário do veículo se o mesmo foi furtado mesmo ou se ele prestou queixa de roubo, utilizando de má fé, caso seja provado o proprietário responderá por denunciação caluniosa. Caso seja furtado, o condutor poderá responder por Receptação de veículo roubado. Mais detalhes ao final das investigações.
Outro fato que chamou atenção é que dentro do veículo continha uma sirene utilizada apenas por policiais, já que era de cor vermelha, como explicita o CTB(Código de Trânsito Brasileiro).


Na época o filho do Delegado assumiu que era proprietário do veículo.

Bom dia caros leitores, sou Julio Wolhfagon Lucena de Lima, na verdade esse veiculo é de minha propriedade ha 3 anos, esse veiculo não é roubado fizeram uma queixa de Furto/Roubo de má fé, como irei provar, tenho Recibo de Compra e Venda, Livreto, Carne de Pagamento, Copia de Chaves, tenho tudo, agora mesmo estou me dirigindo a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos de Recife-PE, para retirar a tal restrição, entendo o serviço da policia local, mas o carro é meu, não tem nada haver com qualquer policial que fique bem claro, até mesmo porque não somos família de policiais, e sim tenho meu pai policial viu Agente Frank Basilio, o veiculo é meu, e ja estou com representação por danos contra a pessoa que fez a queixa caluniosa, pra se ter ideia essa queixa foi feita numa Delegacia do Interior sem nenhum documento provando a propriedade do veiculo, trabalho na área do Detran e sempre vi pessoas sendo vitimas desse mesmo problema.

att;

Julio Wolhfagon Lucena de Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.