quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Paciente teria passado a noite à espera de atendimento no Trauma; hospital nega.

O paciente Severino Rangel teria passado a noite na calçada do Trauma (Crédito: WSCOM Online)

Um homem identificado como Severino Rangel Domingos Filho, de 54 anos, teria supostamente passado, o final da noite desta terça-feira (2) e toda a madrugada desta quarta-feira (3), sangrando, à espera de atendimento médico, deitado na calçada do Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena (HETSHL), em João Pessoa.



Paciente sofreu graves ferimentos na cabeça (Crédito: WSCOM Online)

Segundo a esposa do paciente, não identificada, ele chegou ao Trauma por volta das 22h30 e só teria recebido atendimento médico na manhã desta quarta-feira. Em nota encaminhada ao WSCOM Online, a assessoria de imprensa do HETSHL nega o teor da denúncia.


















Paciente no corredor esperando atendimento (Crédito: WSCOM Online)

De acordo com a nota, o paciente deu entrada no Hospital de Trauma às 22h57 de terça-feira, vítima de acidente de moto. Ele apresentava sinais de embriaguez e teria se negado a realizar os procedimentos médicos hospitalares, inclusive agindo de forma agressiva com a equipe assistencial, e evadiu-se do local.
“Houve diversas tentativas da equipe multiprofissional de trazê-lo de volta à unidade, contudo, o paciente recusou os apelos. A familiar, que se apresentou como esposa, acompanhou todo o empenho da equipe e esteve ao lado do paciente durante todo o tempo e nem mesmo ela conseguiu convencê-lo”, diz trecho da nota.
Denúncia
A imprensa teve acesso a imagens do paciente sangrando, com graves ferimentos na região da cabeça e deitado na calçada do Hospital. Nas fotos também é possível visualizar que outros pacientes estavam à espera de atendimento nos corredores do Trauma.
No vídeo, a suposta esposa de Severino Rangel Domingos Filho deixa transparecer que houve negligência médica com o marido. Confira:
Familiar - Eu queria que o médico o chamasse lá pra dentro, pra ver se fazia alguma coisa com ele, mas não tem como.
Interlocutor - Ele é pai de família não é?
Familiar - Ele é pai de família, é trabalhador, não é nenhum bandido...
Interlocutor - Desde que horas a senhora está aqui?
Familiar - Dez e meia, desde as dez da noite... (Chorando)
Interlocutor - Isso aqui é a situação de uma mãe de família...
Familiar - Nós, não temos dinheiro, não temos condição financeira boa... ai ele deixa assim, ao relento, na calçada.


O Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena esclarece que o paciente Severino Rangel Domingos Filho, de 54 anos, deu entrada no Hospital às 22h57 desta terça- feira (02), vítima de acidente de moto. Com sinais de embriaguez, ele se negou a realizar os procedimentos médicos hospitalares, inclusive de forma agressiva com a equipe, e evadiu-se do hospital.
Houve diversas tentativas da equipe multiprofissional de trazê-lo de volta à unidade, contudo, o paciente recusou os apelos. A familiar, que se apresentou como esposa, acompanhou todo o empenho da equipe e esteve ao lado do paciente durante todo o tempo e nem mesmo ela conseguiu convencê-lo.

Paciente no corredor (Crédito: WSCOM Online)
Destacamos que existem limites legais que impedem a internação compulsória e foram considerados os fatos de que o paciente é maior de 21 anos, estava acompanhado de familiar e - apesar de supostamente sobre efeito de álcool - não estava inconsciente. Logo, pela letra da lei, ele tem autonomia para decidir se aceita ou não o atendimento médico-hospitalar.
Contudo, por volta das 07h00 desta quarta- feira (03), mais calmo, o paciente decidiu permitir os procedimentos médicos. Ele foi encaminhado para o atendimento e permanece em observação na vermelha do hospital. Seu estado de saúde é considerado regular.


Redação
WSCOM Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.