terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Polícia Civil prende acusado de três estupros em Campina Grande/PB


Nesta segunda-feira (25/01) Victor Emanoel Gomes Barbosa, 34 anos, foi preso por agentes da Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Infância e Juventude em Campina Grande.

Ele é acusado de estuprar três mulheres, entre elas, uma adolescente.
Emanoel é funcionário da Alpargatas e foi preso no local de trabalho.
As vítimas o reconheceram. 

A ação da equipe da Delegacia de Repressão a Crimes Contra Infância e Juventude da cidade aconteceu depois que uma das vítimas registrou o crime na unidade policial.

Uma das mulheres foi bastante espancada e de acordo com PC "mal abria os olhos devido de tanta pancada que levou".
A polícia deixou claro que "a prisão de Emanoel foi decorrente de um trabalho investigativo eficiente e criterioso. As vítimas o reconheceram".


No último final de semana ele teria tentado estuprar uma mulher.
Usando uma arma Emanoel colocou a vítima dentro de um carro e a levou para um matagal.
Ela gritou, foia agredida, conseguiu fugir e anotou a placa do carro.

Informações ainda não confirmadas pela PC, dão conta de que o primeiro crime de estupro dele foi cometido nem 2006.
Diante da situação a polícia civil, que já tinha indícios do acusado, não demorou muito a desvendar os estupros.

Ele não só confessou que estuprou uma adolescente de 17 anos, uma mulher de 20 e outra de 28, como também assumiu em depoimento que havia estuprado mais duas mulheres.
"Ele planejava seus crimes com bastante antecedência. Além do estupro, era violento com as vitimas", disse a Delegada Alba Tãnia. 


"Ele tinha um modus operandi único para suas ações. raptava as mulheres, sob ameça de um revólver e as levava para um matagal nas imediações do Insa, no Jardim Verdejante. Era lá que ele cometia os crimes", enfatizou o delegado Iasley Almeida.

Victor Emanuel é casado e mora no Bairro Santa Rosa.


Texto e Fotos: RenatoDiniz.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.