sexta-feira, 15 de abril de 2016

Milhares prometem "Cancelaço" se operadoras impuserem limite de Dados

Os brasileiros não estão nada satisfeitos com a proposta das operadoras de impor uma franquia de consumo de banda larga fixa.
A polêmica começou quando a Vivo (Atual dona da GVT) informou que os novos contratos de Vivo Internet Fixa virão com uma cláusula que estabelece o bloqueio após o limite atingido no mês, que varia entre 10 GB e 130 GB.
Em pouco tempo, foram criados grupos e petições nas redes sociais que são contra a nova medida. No Facebook, o grupo "Movimento Internet Sem Limites" e tem mais de 338 mil curtidas e o abaixo-assinado "Contra o Limite na Franquia de Dados na Banda Larga Fixa", petição online que será enviada às operados, à Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) e aos Ministérios Públicos, conta com mais de um milhão de assinaturas.
A Proteste - Associação de Consumidores também lançou ontem uma petição online contra o limite de uso de dados de internet dos serviços de banda larga fixa.
Também no Facebook, o grupo "CANCELAÇO - Internet Fixa" está ganhando cada vez mais adeptos. O nome da página já deixa claro seu objetivo: um grande boicote às operadoras, caso permaneçam com a medida.
"Caso as operadoras de telefonia fixa não voltem atrás na imposição do limite de tráfego para banda larga, iremos todos cancelar os serviços contratados", diz a descrição do evento, que já conta com mais de 30 mil interessados e 22 mil confirmados. "Sem clientes, como vocês poderão nos sacanear?"
A ideia é cancelar todos os contratos com as operadoras no dia 1º de janeiro de 2017, dia em que a Vivo pretende implantar a franquia de dados. Segundo a empresa, apesar dos contratos mais recentes já virem com a cláusula que impõe limite à banda larga, estes consumidores terão "condições promocionais até 31/12/2016 de manutenção do serviço de internet sem bloqueio, mesmo após o término da franquia de dados contratada."
Vale lembrar, contudo, que o cancelaço pode não ser uma boa ideia para aqueles que contrataram a internet fixa da Vivo antes de 05 de fevereiro deste ano. Isso porque o limite de dados só é válido para os contratos firmados após esta data. Os contratos anteriores continuam com o uso ilimitado da internet fixa.
Ou seja, se você aderir ao evento e cancelar seu contrato, que foi firmado antes de 05 de fevereiro de 2016, você perderá o uso ilimitado da internet fixa, caso a Vivo não volte atrás e cancele a o uso de franquia de consumo da banda larga.
Se depender do Chief Revenue Officer da Telefônica Vivo, Christian Gebara, o limite será implantado. Em entrevista ao Tecnoblog, Gebara afirmou que impor limite à internet fixa é "um caminho sem volta, por ser uma tendência adotada mundialmente."

Impor limite de dados isola Vivo no mercado de internet

A decisão de limitar a conexão dos clientes de acordo com os pacotes adquiridos isolou a Vivo das concorrentes, uma vez que até agora a operadora é a única que se mostrou disposta a tomar tal medida no setor de internet fixa. O UOL procurou as principais representantes do setor e confirmou que nenhuma delas pretende seguir os passos da Vivo: TIM, Oi e NET informaram que deixarão as coisas como estão.
O caso mais favorável para os consumidores parece ser o da TIM, que sequer comercializa planos com franquia mensal de dados prevendo a redução da velocidade ou o bloqueio do sinal.
A Oi está no meio do caminho, pois informa, no contrato, que há uma franquia de dados, mas a operadora garante que não reduz a velocidade e nem interrompe a navegação quando o plano acaba. A prestação do serviço de forma ilimitada ocorre como medida promocional, portanto a ação pode ser encerrada a qualquer momento - se isso acontecer, entretanto, a empresa diz que fará um comunicado com 30 dias de antecedência.
Na outra ponta fica a NET, que não chega a cortar a conexão, mas prevê em contrato a redução da velocidade para quando os clientes extrapolam o plano contratado. Mas a assessoria da empresa explicou ao UOL que a medida só é aplicada em casos extremos, e mesmo assim os clientes são avisados por e-mail quando estão próximos de atingir e ultrapassar o limite.
Vale salientar para os usuários de "internet a Rádio" também sofrerão com essa restrição de Dados, já que o fornecedor de internet para as empresas prestadoras do serviço era a GVT e VIVO, e agora ambas pertence ao mesmo grupo, ou seja, haverá restrição de dados para estes também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.