domingo, 8 de outubro de 2017

Ex-presidiário atenta contra a vida de policial na cidade de Remígio/PB e acaba falecendo no hospital

Ao meio-dia desta quinta-feira (05/10) uma troca de tiros entre um cabo da polícia militar e dois desconhecidos acabou com um morto.
O PM saiu ferido com um disparo na mão.

Segundo relatório da polícia militar, o cabo estava de folga e na comunidade “Lagoa do Mato”, em Remígio, os dois homens o reconheceram como policial e começaram a atirar.
Ele revidou e baleou um dos acusados que depois foi identificado como sendo o ex-presidiário Luís Carlos Martins de Oliveira, de 33 anos.
O outro que estava na companhia dele conseguiu fugir.
Luís foi socorrido para o Trauma em Campina Grande, mas acabou morrendo.
Com ele foi apreendido um revólver calibre “38” com seis munições deflagradas.





****
Em 2015 ele já havia sido preso:

Polícia Civil prende o homicida Dido de Remígio/PB




Preso o mais famoso traficante e mandante de crimes da cidade de Remígio e o responsável pela morte de outro ex-apenado.

Policiais Civis do Núcleo de Homicídios de Esperança, prenderam o sr. Luiz Carlos Martins de Oliveira, mas conhecido por "Dido de Lagoa do Mato".

Dido estava em Campina Grande em um hospital quando policiais receberam informações de que ele estava naquele recinto com documentos falsos, diante do fato foi dado voz de prisão e contra o seu nome verdadeiro existia uma condenação de 2008.

Em dezembro de 2014, Dido teve um atrito com o popular "Totinha", o qual já havia sido preso duas vezes no mesmo ano.

Dido também é responsável por atentar contra a vida de um dos membros da família dos Cucu da vila do presídio, responsável pelo tráfico de droga naquela região. Já essa vítima do atentado se encontra preso na cadeia de Remígio.


Agora Dido ficará a disposição da justiça, se ficará preso ou retornará para as ruas de Remígio, mas com certeza haverá algumas brigas na cadeia de Remígio de duas facções.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ao enviar sua denúncia especifique a sua cidade e Estado e conte detalhes do crime, caso contrário não podemos ajudar.

As denúncias não são publicadas, só os comentários sem denúncias.