Polícia Militar evita explosão de banco na cidade de Areia/PB e prende suspeitos e neutraliza os demais criminosos após intensa troca de tiros.

falecido na troca de tiros

veio a óbito no hospital


A Polícia Militar frustrou ataques a bancos que uma quadrilha, formada por integrantes de diversos estados, planejava cometer na madrugada desta quarta-feira (17), na cidade de Areia.

Através do trabalho integrado com a Polícia Federal, o município foi cercado pela PM e, por volta das 3h, teve início uma intensa troca de tiros, que evitou toda a ação criminosa. Seis suspeitos morreram e outros dois foram presos – um deles ferido (faleceu depois no hospital).

Na ação, foram apreendidas armas, munições, explosivos, grampos, alicates e até uma serra elétrica que os criminosos usaram para derrubar árvores nos acessos ao município, com o objetivo de impedir a resposta da polícia.

Entre o arsenal apreendido, estavam uma submetralhadora, uma pistola, dois revólveres, uma carabina e uma espingarda.

O enfrentamento à quadrilha interestadual teve a atuação de quase 40 policiais militares paraibanos do 15º Batalhão, Grupamento Tático de Ações Especiais (GATE) e Grupamento Especializado de Operações em Área de Caatinga (GEOsAC).

Um dos presos já foi apresentado na sede da Polícia Federal, em Campina Grande. O outro também será levado para lá, assim que receber alta no Hospital de Emergência e Trauma, onde está internado sob custódia policial.

Um dos mortos em Areia é filho de um vereador de Esperança conhecido como Alexandre de São Miguel

O Major Benevides, que comandou a operação que deteve um bando que invadiu a cidade de Areia para explodir os bancos do Brasil e Caixa Econômica Federal, conversou com exclusividade com o Sistema Arapuan de Comunicação, nesta quarta-feira (17) e contou detalhes da ação.

O coronel contou que todos foram ou mortos ou detidos. Durante a troca de tiros quatro foram mortos, dois ficaram em estado grave e dois baleados, que morreram ao serem socorridos. O último detido foi um homem de São Paulo, explosivista (que lida com explosivos) do exército. Ele foi encontrado dentro da mata, ferido na perna, já na manhã desta quarta.

O comandante da operação acredita que o explosivista adquiriu conhecimentos com explosivos dentro do alistamento militar e iria utilizar para atacar bancos.

O bando era composto por pessoas da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e São Paulo.

De acordo com Benevides, a polícia da cidade recebeu informações da Polícia Federal que descobriu que na área existia pessoas que iriam cometer atentados contra o BB e Caixa de uma só vez.

“A partir daí fizemos o levantamento de locais onde tinham bancos e preparamos a operação do 15º Batalhão de Polícia Militar, Geosac, Bope e Gate. Na madrugada foram espalhados grampos, e árvores foram derrubadas em locais de acesso à cidade. Eram oito homens e houve intensa troca de tiros” disse.

De acordo com o coronel Benevides, os criminosos estavam utilizando armas longas e revólveres, além de muita munição e explosivos. Os feridos foram socorridos para o hospital de Areia, pois as saídas da cidade tinham sido fechadas pelo próprio bando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Médico remigense perde a batalha para o Coronavírus na Paraíba.

Ativista Remigense vem a óbito após batalha contra o câncer.