Polícia prende acusado de arrombamento e receptação na cidade de Solânea/PB e justiça solta após tomar ciência.


A Polícia Civil da Paraíba, através de policiais da 21° Delegacia Seccional - Solânea, em ação conjunta com Polícia Militar, 7 CIPM, em ação realizada na manhã deste sábado (02.01.2021), prendeu acusado PATRÍCIO JULIO DE SOUZA, conhecido como "ARANHA", ex-presidiário, por realizar o arrombamento juntamente com furto, sendo preso na Rua Bela Vista em Solânea, após tentar fugir da polícia pulando por diversos telhados, vindo a destruir a residência de dois vizinhos na fuga, após se machucar com várias escoriações nas telhas e o mesmo vendo que estava cercado, resolveu se entregar.

Após a revista em sua residência, a polícia encontrou uma medalha que pertencia ao estabelecimento comercial que ele havia furtado, além do casaco utilizado na investida ter sido encontrado em seu poder. Ao perceber que a casa caiu, o mesmo informou que o notebook, outro pertence subtraído, estaria na casa da senhora, JOSÉLIA DO NASCIMENTO DE LIMA, conhecida como NINHA,  49 anos, onde ele deixou o notebook devido a uma dívida de R$ 130,00 que ele a tinha com a mesma.

Quando a polícia chegou na casa de JOSÉLIA, a mesma já havia escondido o notebook em uma oficina mecânica do outro lado da cidade, onde pediu para que SEVERINO DA SILVA FILHO, conhecido como SAÚ, 44 anos, guardasse em sua oficina.

Toda essa movimentação do casal ocorreu enquanto a polícia estava atrás de PATRICIO que mora em uma rua adjacente a do casal, demonstrando que o casal sabia que o notebook era produto de roubo/furto e ao invés de se apresentar a polícia preferiram esconder o objeto.

O casal foi preso por receptação e após pagarem fiança de R$1.000,00 cada um, foram posto em liberdade. Fato curioso é que JOSÉLIA ainda questionou se não podia fazia um desconto no pagamento de fiança.

Já Patrício respondeu por furto e arrombamento, vindo a ser posto em liberdade pelo juiz plantonista, no dia seguinte. Na sentença ficou claro que o judiciário viu que Patrício não causava risco a sociedade em ficar livre.

As investigações da polícia civil continuam no intuito de descobrir se o casal recebia outros produtos de furtos provenientes de crimes praticados por Patrício e outros elementos daquela localidade.











www.setimaregional.com.br

Comentários