Governo federal assina contratos com Pfizer e Johnson para compra de vacinas, MAS ainda não está confirmado a compra


 O governo brasileiro concluiu na quinta-feira (18) a assinatura dos contratos com a farmacêutica norte-americana Pfizer e com a belga Janssen, subsidiária da Johnson & Johnson, para a compra de 138 milhões de doses de vacinas contra o novo coronavírus.


O contrato com a Pfizer prevê a entrega de 13,51 milhões de doses do imunzante no segundo trimestre(abril-maio-junho ???) de 2021 e de mais 86,48 milhões de doses no terceiro trimestre(julho-agosto-setembro ???), totalizando 100 milhões de doses de vacinas. 


Já o acordo com a Janssen prevê a entrega de 38 milhões de doses do imunizante de dose única no último trismestre de 2021(outubro-novembro-dezembro ???) ao custo de US$ 10 (R$ 5,46) por dose. Os dados constam nos documentos assinados com as empresas e aos quais o âncora da CNN Kenzô Machida teve acesso.


Ao todo, as vacinas da Pfizer custarão pouco mais de US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5,46 bilhões, em conversão direta) ao governo brasileiro, com um custo de US$ 10 por dose (R$ 5,46). Já os imunizantes da Janssen terão custo total de US$ 380 milhões (cerca de R$ 2,07 bilhões), também a US$ 10 por dose.

Para firmar o contrato, o governo federal deverá realizar o pagamento antecipado em até 10 dias

"Em consideração parcial pelas Doses Contratadas, o Comprador efetuará um pagamento antecipado de US$ 200.002.140,00 (calculado a US$ 2,00/dose multiplicado pelas Doses Contratadas) no prazo de 10 (dez) dias a contar do recebimento de uma fatura da Pfizer", continua o documento.

Comentários