Mulher de Cuité/PB é resgatada após passar 39 anos trabalhando de forma análoga a escravidão em Campina Grande

 








Aos 18 anos a vítima foi retirada da cidade de Cuité pelo empregador e a sua família.

A vítima de 57 anos trabalhava desde os seus 18 anos de idade na casa de uma família na cidade de Campina Grande, onde nos últimos 5 anos passou também a cuidar de mais de 100 cachorros adotados pela família.

“Cuidava dos patrões idosos, limpava a casa, arrumava e cozinhava, além dos cuidados com a matriarca da família que ficou acamada e com dificuldades de locomoção. Ainda, a empregada vivia um processo de coação psicológica que a levava a aceitar as condições indignas de trabalho com afirmações de que ela teria responsabilidades com os idosos por ser uma pessoa considerada da família”, descreveu a auditora.

Após o resgate da mulher, pelo Grupo Especial de Fiscalização Móvel (GEFM), Polícia Federal (PF) e Defensoria Pública da União (DPU), retornou para a cidade de Cuité/PB.
Agora os órgãos fiscalizadores tentaram um acordo com a família para que pague todos os direitos trabalhistas desses 39 anos de escravidão.

Comentários